Pular para o conteúdo principal

Ritmos Brasileiros: Baião

Baião

Nesta publicação lanço algumas referências que considero importantes para pensarmos a constituição do gênero musical Baião na música popular Brasileira. Me movimento por discos clássicos (encontrados livremente na internet), nomeio compositores tradicionais e instrumentos típicos desse estimado gênero musical Brasileiro Espero que o texto sirva como guia inicial de pesquisa sobre o Baião. 

A produção cultural do Nordeste Brasileiro sempre foi muito rica e diversificada. É inegável a importância da produção artística e cultural de nomes como Patativa do Assaré, Ariano Suassuna e João Cabral de Melo Neto. Além disso, temos como patrimônio cultural o artesanato em renda, os cordéis, trabalhos em cerâmica, couro, e outros elementos produzidos a partir dos recursos naturais desta localidade.

No campo musical não há como deixar de citar a obra de Jackson do Pandeiro, Carmélia Alves, Sivuca e outros tantos músicos que revigoraram a música Brasileira com suas composições marcantes e singulares. 
Eu vou mostrar pra vocês 
Como se dança o baião 
E quem quiser aprender 
É favor prestar atenção
Baião - L.  Gonzaga  e H. Teixeira

Sobre o Baião 

Câmara Cascudo em Dicionário do Folclore Brasileiro diz que o Baião é “uma dança popular muito preferida durante o século XIX. A partir de 1946 o grande sanfoneiro pernambucano Luiz Gonzaga divulgou pelas estações de rádio do Rio de Janeiro o baião, modificando-o com a inconsciente influência local dos sambas e das congas cubanas.” O baião conserva células rítmicas e melódicas do Côco e apresenta unidade rítmica binária. É possível experimentar o baião nas festas populares e forrós pé-de-serra das cidades nordestinas. O gênero Baião está presente na música de compositores como Luiz Gonzaga, Sivuca e Dominguinhos. 

Por meio de suas canções, os compositores colaboraram para a divulgação dos costumes e das paisagens nordestinas em outras regiões do Brasil. A sonoridade do Baião foi sendo construída ao longo dos anos 40. De Baiano para Bailar, de Bailar para Baiar, e chegamos então no Baião. Os historiadores são unânimes em reconhecer que a popularização da seção musical do Baião ganhou força a partir das composições de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Outras influências também foram fundamentais para estabelecer a estética musical do Baião. Cascudo fala sobre a influência do samba, dos boleros (muito comuns na década de 30 e 40) e da musica latina de forma geral. O Baião incorpora elementos africanos, em especial o Lundu na sua dança e música. *** Em "O Grande livro do Folclore", Carlos Felipe diz que “o baião teve em Luiz Gonzaga, Zé Dantas e Humberto Teixeira seus grandes divulgadores, a partir da década de 40, quando o ritmo alcançou sucesso nacional. Em sua origem, o ritmo, cujo nome vem de bailar, tem alguns passos marcantes, como o balanceio, o passo de calcanhar, o passo de joelhos e o rodopio, seus instrumentos mais comuns são o agogô, o triângulo, a zabumba, o xiquexique e a sanfona.” É importante citar a cantora Carmélia Alves, conhecida como Rainha do Baião. A cantora fez parte dos musicais de rádio da década de 50 e, mais tarde, integrou o grupo “Cantoras do Rádio”. Carmélia faleceu em 2012 com 89 anos.

Instrumentos Baião

Instrumentos típicos do Baião

É bastante comum que os grupos de forró sejam formados a partir do trio de instrumentos zabumba triângulo e sanfona.  Optei por incluir ainda o agogô na descrição instrumental típica pela frequência em que este instrumento aparece no material consultado.  Utilizei como fonte bibliográfica  o Dicionário de Percussão de Mário D. Frungillo. 

ZABUMBA: nome dado a um tambor de 2 peles com aproximadamente 22 polegadas de diâmetro. O casco é construído geralmente em madeira. O instrumento é sustentado com um talabarte (tira) no pescoço do instrumentista, ficando inclinado. É tocado com uma baqueta de madeira na mão direita e um outro tipo de baqueta (chamada de bacalhau, açoite, maracá) na mão esquerda, tocando os contra-tempos. 

TRIÂNGULO: barra cilíndrica de metal, dobrada em 2 pontos convergentes até que uma extremidade se encoste na outra, tomando a forma de um triângulo equilátero. A característica sonora do instrumento é de som metálico, agudo e de longa duração. As medidas mais comuns são entre 6 e 8 polegadas. 

AGOGÔ: par de campanas de metal unidas por uma haste curvada na forma da letra “u” (ou “v”). Tocadas com baqueta de madeira ou metal. Mais modernamente é possível encontrar agogôs com 3 campanas. Tem origem africana, porém é muito difundido na música Brasileira. SANFONA: instrumento também conhecido como gaita ou acordeon. É construído sobre um fole e composto de duas caixas harmônicas de madeira nas extremidades.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repertório apresentado no bacharelado em percussão da UFSM (2002-2006)

Ritmos Brasileiros: Ijexá