Pular para o conteúdo principal

Bateria #1 - Surgimento

A seção rítmica das bandas militares, até meados de 1900, normalmente abarcava o tarol, bumbo tocado em pé e prato a dois. Instrumentos que funcionavam em conjunto, enquanto seção rítmica, e necessitavam de vários percussionistas para soarem como naipe. Alguns anos depois surgiam as primeiras experimentações com kits de bateria. Ou seja, a possibilidade de agrupar tambores para que o mesmo percussionista executasse ritmos concomitantemente. Inclui-se então a utilização de mãos e pés na performance rítmica.

A música popular americana do século XX, em especial o Jazz e o Rock, é responsável por tornar a bateria um instrumento tradicional nas formações instrumentais de grupo ou em bandas. O kit padrão com bumbo, caixa, chimbal, tambores e pratos suspensos começa a estabelecer-se nas décadas de 20 e 30. Em especial com bateristas americanos como Warren "Baby" Dodds, Ray Bauduc e Zutty Singleton.

O termo bateria passa a representar um conjunto de tambores e pratos organizados ao redor do bumbo que é o tambor tocado com um dos pés. Segundo o dicionário de percussão de Mário Frungillo, a palavra bateria tem origem em "bater". O ato de percutir um tambor.

O jazz e o rock são os gêneros que primeiramente fixaram a bateria em suas formações de conjunto. Ainda assim, é importante lembrar que os bateristas citados acima trouxeram toda uma cultura musical africana na forma de tocar e fazer soar esse instrumento.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repertório apresentado no bacharelado em percussão da UFSM (2002-2006)

Ritmos Brasileiros: Ijexá