Pular para o conteúdo principal

Naná Vasconcelos - Lista #1

Nascido no Recife, Naná Vasconcelos foi um artista do mundo. Sua música considera elementos sonoros de múltiplos lugares e culturas (especialmente a africana). A percussão de Naná criou elementos sonoros orgânicos e originais. O resultado disso é uma maneira criativa e provocante de fazer música.

Ele foi eleito 8 vezes o melhor percussionista do mundo pela revista americana Down Beat e ganhador de 8 prêmios Grammy. Além de ser um artista diferenciado e querido no cenário musical Brasileiro e mundial.

Naná tocou com artistas como Egberto Gismonti, Milton Nascimento, Pat Metheny, Joachim Khan, Joyce, Ron Carter, Don Cherry, Melvin Gibbs, Jack DeJohnette entre outros.

A seguir temos a discografia de Naná tanto nos trabalhos solo como nas parcerias com outros artistas. Os discos que estão disponíveis no youtube acompanham links para essa plataforma.

DISCOGRAFIA

4 Elementos (2013):  disco autoral do percussionista Naná Vasconcelos. Os 4 elementos apresenta 10 composições criadas a partir da  inspiração dos quatro elementos básicos da natureza (água, ar, fogo e terra).

Sinfonia & Batuques (2011):  Neste álbum Naná trás instrumentos sinfônicos e efeitos com a percussão na água. As raízes da música pernambucana estão presentes neste disco através do maracatu. Naná também procura dar ênfase a elementos eruditos, pois tem como convidado Orquestra Experimental de Câmera. No álbum Naná gravou três composições de sua filha pianista Luz Morena, de 11 anos, e uma faixa com um coral infantil, Menininha nagô (homenagem a Mãe Menininha de Gantois), que abre o disco. Há a utilização de experiências aquáticas como Lamentos e Batuque das Águas (esta é um medley com uma canção do Milton Nascimento gravada pelo próprio Naná em Bush Dance.

• Trilhas (2006): Coletânea dos principais trabalhos do percussionista para cinema, teatro e dança.

Chegada – Azul Music/Fábrica Estúdios (2005): disco conta com participação de César Michiles (flautas e saxes), Lui Coimbra (cello, charango e violão), Chiquinho Chagas (piano, teclados e acordeon) e Lucas dos Prazeres (percussão).

Minha Loa – Fábrica Estúdios (2002): Apresenta uma nova fase, uma nova abordagem de Naná e de sua musicalidade. É o título mais vendido de sua carreira no Brasil. É um disco de canções, leve e alegre, que apresenta uma singular mistura de ritmos e estilos musicais, tendo o paralelo entre a eletrônica e o orgânico como uma das suas características marcantes.

Isso vai dar repercussão – Elo Music/Boitatá (2004) com Itamar Assumpção: encontro musical entre o cantor e compositor paulista Itamar Assumpção (1949-2003) e Naná.

No tempo da bossa nova (1997)

Storytelling (1995)

If you look far enough (1993): Além de Naná, este álbum conta com Arild Andersen e Ralph Towner. As faixas 6 7 e 8 baseiam-se nas canções folclóricas norueguesas “Gullbor Og Rideboll”, “Tveitaen” e “Me Skal Bryggja Til Jul”. “Se você olhar” e “Far Enough” foram registrados na Primavera de 1988 para “Blucher”, um filme norueguês. O som orquestral é feita através da ligação do coletor de graves e um atraso de reverb. Não há sintetizadores ou overdubs de estúdio. “The Voice” foi gravada com um processador zoom com efeitos. Gravado na Primavera de 1988, julho 1991 e Fevereiro de 1992 no Rainbow Studio, Oslo.

Lester (1990): Naná Vasconcelos e Antonello Salis.

Vernal equinox (1990): Gravado na York University Electronic Media Studios (Toronto, Ontário) entre Outubro  e Novembro de 1976.  Mixagem e gravação adicional: Mastertone Recording Studios (Nova York), Setembro / Outubro de 1977. Este CD contém material lançado anteriormente [Originalmente lançado de 1977]. Track list com músicos aqui

• Rain dance (1989)

• Bush dance (1986)

• Duas vozes (1984)

• Zumbi (1983): Gravado em Paris no estudio “Resonances” em Boston. Este trabalho tem ênfase nas vozes, corpo e percussão.

• Codona vol 3 (1983)

• Codona vol 2 (1982)

• Codona vol 1 (1979)

Saudades (1979)

• Kundalini (1978): Disco em parceria com Perry Robinson.

Sol do meio-dia (1977)

Dança das cabeças (1976): Album gravado entre naná e o multi-instrumentista Egberto Gismonti. Considerado um dos melhores àlbuns da música instrumental Brasileira e um dos melhores da carreira de Gismonti.

• Amazonas (1973)

 Africadeus (1972): conta com os músicos Nelson Angelo Cavalcanti Martins (Belo Horizonte-MG) e o baixista, pianista, compositor e cantor Djair de Barros (Recife) mais conhecido como Novelli.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Repertório apresentado no bacharelado em percussão da UFSM (2002-2006)

Ritmos Brasileiros: Ijexá